Destaques, Notícias

Superalimentos podem aumentar chance de câncer em vez de diminuir

publicado em 11 de janeiro de 2013

mitilhoSuperalimentos, como mirtilo (blueberry) e brócolis, têm fama de ajudar na luta contra o câncer por combater radicais livres. No entanto, o cientista James Watson, que ajudou a descobrir a estrutura do DNA e ganhou o Prêmio Nobel, lança uma opinião contrária, a de que o excesso de antioxidantes, adquirido com a ajuda de suplementos nutricionais, pode ter causado mais a doença que prevenido. Os dados são do jornal Daily Mail.

Watson disse que os radicais livres não só ajudam a manter as células doentes sob controle, como também são fatores essenciais em fazer muitos medicamentos contra o câncer eficazes. “À luz dos recentes dados fortemente insinuando que muitos dos estágios avançados intratáveis do câncer podem surgir pela grande quantidade de antioxidantes, chegou o momento de perguntar seriamente se o uso de antioxidantes aumenta a probabilidade de causar ou prevenir a doença”, acrescentou o cientista.

O profissional também disse que muitos estudos encontraram que antioxidantes, incluindo vitaminas A, C e E, e o mineral selênio, têm “eficácia não-óbvia” na prevenção do câncer de estômago ou prolongamento da vida. Em vez disso, parecem encurtar a vida e a vitamina E pode ser particularmente perigosa.

Nic Jones, da organização Pesquisa do Câncer do Reino Unido, concorda que pesquisas mostraram que antioxidantes foram ineficazes para a prevenção de câncer em pessoas saudáveis e que podem até mesmo aumentar ligeiramente o risco da patologia. Acrescentou ainda que as vitaminas e minerais devem ser obtidos por meio de uma dieta saudável e equilibrada.

Fonte: Terra