Destaques, Notícias

Software é capaz de identificar câncer de pele tão bem quanto médicos

publicado em 9 de fevereiro de 2017

Software conseguiu surpreender cientistas ao provar sua eficácia em detectar o câncer de pele tão bem como os médicos detectam.

Software conseguiu surpreender cientistas ao provar sua eficácia em detectar o câncer de pele tão bem como os médicos detectam.

Pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, criaram um software que é capaz de identificar lesões cutâneas que precisam de maior atenção. Esse é um programa que usa inteligência artificial, mas que provou ser tão eficaz quanto os médicos. Basta uma foto para que o software identifique se uma determinada pinta ou mancha seja ou não investigada.

Sobre o software

Andre Esteva, um dos cientistas responsáveis em desenvolver esse software, explica que o software é uma criação do Google. Porém, diferente do que o seu criador o desenvolveu, ou seja, para distinguir o rosto de gatos e cachorros, ele foi “treinado” para detectar câncer de pele.

Após criar um banco de imagens com uma média de 130 mil imagens de câncer de pele, esse software provou ser útil. Esteva destaca que, diferente de escrever em códigos para o computador procurar, eles fizeram com que o algoritmo encontrasse sozinho.

Foram realizados muitos testes para provar a sua eficácia e o resultado tem se mostrado muito positivo.

Teste a que foi submetido o software

Durante os testes, os cientistas contaram com a ajuda de 21 dermatologistas. Eles tinham a função de analisar 370 fotos de lesões e detectar se era ou não cancerosas. Então, esses profissionais precisavam informar quais eram as alterações que deveriam ir para a biópsia.

O resultado foi um sucesso, ou seja, ambas as performances (máquina e médicos) foram bem parecidas. Esteva ainda explicou que o intuito do software não é fazer a substituição dos médicos e tão pouco sobre os diagnósticos. Para os cientistas, o importante é terem criado uma espécie de duas projeções iniciais que os dermatologistas realizam.

O software já será usado nos pacientes?

Embora os testes tenham sido satisfatórios, a máquina ainda terá que ser aperfeiçoada. Sem contar que muitos testes ainda estão por vir, onde serão realizadas outras investigações. Mas a equipe de cientistas espera, futuramente, poder desenvolver um aplicativo para o celular, onde todos possam contar com essa inteligência artificial.

A equipe se mostra muito confiante e espera poder ajudar as pessoas a detectarem o câncer de pele precocemente.

Câncer de pele no Brasil e no mundo

O câncer de pele em nosso país tem aumentado consideravelmente. Um estudo realizado pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer) em 2016, apontou uma estimativa de pessoas com esse tipo de câncer de 175.760, sendo 94.910 mulheres e 80.850 homens infectados.

Mas esse é o câncer mais incidente em toda a população mundial, atingindo um total de 25% dos cânceres humanos. Isso faz dele uma enorme preocupação para os médicos, governos e planos de saúde para pacientes com câncer em todo o mundo. Sem contar que são vários tipos de câncer de pele, como:

  • Melanoma: representando 4% dos tumores malignos, sendo o maior em mortalidade.
  • Carcinoma basocelular: representa 71,4% dos tumores malignos cutâneos.
  • Carcinoma de células de Merkel: embora raro, é bastante agressivo.
  • Carcinoma espinocelular: com 21,7%, é o segundo tumor maligno mais frequente, podendo até resultar em metástase.

Mas por que são muitos os casos de morte relacionados ao câncer de pele? A resposta é simples, a falta de acompanhamento médico. Se identificado precocemente, muitas são as chances de cura do câncer de pele.

Fonte: Portal Segs