Destaques, Notícias

Outubro Rosa: destinações feitas pelo MPT contribuem para combate ao câncer de mama na região de Rondonópolis

publicado em 27 de outubro de 2020

Segundo a Associação dos Pacientes Oncológicos de Rondonópolis (Apor), entidade beneficiada pelas destinações feitas pelo MPT, foram realizados, de 2016 a 2020, mais de 25 mil exames de mamografia

26/10/2020 – “Vocês salvam vidas”. A declaração é do voluntário da Associação dos Pacientes Oncológicos de Rondonópolis (Apor), Flávio Ribeiro Rocha, um dos responsáveis pela execução e desenvolvimento do projeto que resultou na inauguração, em fevereiro de 2016, do Centro de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama de Rondonópolis. Entre 2015 e 2016, o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Rondonópolis destinou cerca de 500 mil reais para ajudar a custear a aquisição de um mamógrafo, de um aparelho de ultrassom e de materiais para exames de mamografia, bem como para a reforma da Casa de Apoio e da Ala Oncológica da Apor.

Com as destinações que ocorreram há alguns anos, o MPT tem contribuído para zerar as filas por exames de mamografia em Rondonópolis. “De acordo as informações da Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis e da Central de Regulação do SUS, a aquisição do Aparelho de Mamografia Digital foi fundamental para a redução da fila para os exames em Rondonópolis, pois a demanda chegou a mais de seis mil mulheres na espera, até o primeiro semestre do ano de 2016”, conta Maria Marleide Ferreira Narciso, superintendente Administrativa da Apor.

A superintendente revela, ainda, que de 2016 a 2020 foram realizados 25.645 exames de mamografia e 816 ultrassonografias pelo Centro de Imagens da Apor. A entidade atende toda a região Sul de Mato Grosso, totalizando 18 municípios: Pedra Preta, Alto Garças, Alto Araguaia, São José do Povo, Araguainha, Alto Taquari, Guiratinga, Tesouro, Paranatinga, Primavera do Leste, Poxoréo, Juscimeira, São Pedro da Cipa, Juscimeira, Jaciara, Dom Aquino, Campo Verde e Santo Antônio do Leste.

Os atendimentos de pacientes de outras cidades são feitos por intermédio do Consórcio Regional de Saúde Sul de Mato Grosso (CoressMT). “Como também os demais municípios da região Sul de Mato Grosso foram contemplados, também houve diminuição da fila de pacientes na espera”, acrescenta Marleide.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão auxiliar do Ministério da Saúde no desenvolvimento e coordenação das ações integradas para a prevenção e o controle do câncer no Brasil, apontam que o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete as brasileiras, representando cerca de 25% dos cânceres que afetam as mulheres. Com a detecção precoce desse tipo de câncer, aumentam significativamente as chances de cura. Por isso, os procedimentos preventivos são essenciais e devem ser acessíveis.

Após a realização das mamografias e ultrassonografias para a confirmação de diagnósticos, a Apor também faz o acompanhamento de casos classificados como categoria 4 ou 5, encaminhando-os para consulta com especialistas, biópsia e tratamento. No total, a Apor realizou, em 2019, mais de 10 mil atendimentos. Em 2020, mesmo com as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, os atendimentos já somam cinco mil.

“Todo este trabalho realizado hoje é possível devido ao resultado das parcerias com a Apor, e o MPT, com a destinação dos recursos, colaborou com a implantação e implementação deste serviço”, reconhece a superintendente.

Para Flávio Ribeiro Rocha, presidente da associação na época da inauguração do Centro de Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama, a demanda reprimida que havia foi o indicativo de que algo deveria ser feito. “Foi desenvolvido o projeto, mas os recursos não estavam disponíveis – a Acir [Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis] fez uma doação de 100 mil reais, porém o valor estava muito longe do custo estimado do projeto (1 milhão). A partir da doação do MPT, efetivamente o projeto saiu do campo das ideias e começou a ser materializado”, conta Rocha. “Registro aqui a minha gratidão pessoal e em nome da Apor a todos do MPT que fazem que ações como esta sejam efetivadas. Vocês salvam vidas”.

A procuradora do MPT Louise Monteiro Gagini comentou os resultados. “Neste Outubro Rosa, é muito gratificante ver que a destinação realizada pelo MPT em Rondonópolis propiciou a garantia do direito à saúde e à vida de tantas mulheres na região sul do Estado que puderam fazer exames de mamografia e ultrassom sem longas esperas. Essa é a finalidade da atuação do MPT e da reversão de valores a projetos e entidades: além do cumprimento da legislação trabalhista, mudar a realidade social da população”.

Prevenção

O “Outubro Rosa” desperta no público-alvo, na maioria mulheres, a atenção para o cuidado com o corpo. Quando a campanha não existia, não se falava tão abertamente sobre prevenção ao câncer de mama. Se pessoa não tinha o hábito de ir a um ginecologista, dificilmente a doença era detectada a tempo de evitar consequências piores e até a morte.

Segundo o Inca, cerca de 28% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos de vida saudáveis. Também de acordo com o instituto, é importante que as mulheres observem suas mamas regularmente (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.

Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são caroço (nódulo) fixo, endurecido e geralmente indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo); pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço; e saída espontânea de líquido dos mamilos. Sempre que identificarem alterações nas mamas, as mulheres devem procurar atendimento médico.

A superintendente da Apor também reforça a importância do autoexame para descoberta precoce de nódulos. “A mulher deve começar a fazer o autoexame a partir do momento que começa sua vida ativa sexual. Quando perceber algo diferente, ela deve procurar seu médico, seja na unidade de saúde ou seu médico particular, que vai avaliar e dar os devidos encaminhamentos”.

Para mais informações sobre a realização de mamografias e exames de ultrassom no Centro de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama da Apor, a mulher deve buscar pelo agendamento nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF). Os telefones para contato são:

Centro Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama: (66) 3023-3200
Ala Oncológica da Apor: (66) 3426-2802

ACP 0000922-28.2011.23.001/2
IC 000245.2012.23.001/2 
PP 000008.2011.23.001/8

Informações: Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT)

Contato: (65) 3613-9100 | www.prt23.mpt.mp.br | twitter: @MPT_MT | facebook: MPTemMatoGrosso | instagram: mptmatogrosso