Destaques, Notícias

Mais uma etapa da busca ativa para diagnóstico precoce do câncer de próstata é ralizada na Apor

publicado em 26 de fevereiro de 2021

Na manhã desta sexta (26/02), o Centro de Imagens da Apor recebeu 10 homens de Guiratinga e Tesouro. Eles fazem parte do grupo de pacientes que tiveram seus exames de PSA alterados e precisaram passar pela consulta do médico urologista Dr. Fernando Borges.

No final de 2020, 321 homens de cidades e aldeias indígenas da região participaram da campanha de busca ativa realizada pela Apor e viabilizada pelas doações da Bayer Brasil.

Participaram da campanha homens a partir de 45 anos (ou menos, para os casos com pai ou irmãos com histórico de câncer de próstata). Eles passaram pela coleta do sangue para o PSA, exame que identifica se existe alguma alteração na próstata.

Do total de 321 paicientes que fizeram o exame, 30 apresentaram alterações que indicam a necessidade de investigação especializada do médico urologista.

“Ficamos assustados com o número de exames que apresentaram alteração. Ao mesmo tempo, é muito satisfatório saber que podemos diagnosticar um câncer logo no início. Nesse caso, a chance de cura é muito maior”, explica Marleide Narciso, gestora da Apor.

Além da consulta, se houver necessidade, é feita a biópsia de próstata (realizada com auxílio de ultrassom)  e são realizados exames de laboratório de anatomia patológica. Tudo viabilizado pela Apor.

Consciência e exames preventivos

Entre os homens que passaram pela consulta com o urologista, estava o João Francisco Filho, 67 anos, de Guiratinga. O senhor João conta que foi a segunda vez que fez o exame de PSA, mas dessa vez o resultado indicou a alteração. “Foi a agente de saúde que visitou meu sítio e falou da Campanha da Apor. Não quis perder a oportunidade, ainda mais porque meu pai faleceu desse problema“, conta João.

Também foi a segunda vez de Walderson Nunes Claudio, de 59 anos, também de Guiratinga. “Dessa vez apareceu uma alteração, fiquei um pouco cismado, mas a gente não pode deixar de passar pelo médico por medo. Por isso estou aqui“, pontua Walderson.

Marleide Narciso, gestora da Apor, reforça a importância dessa busca pelo diagnóstico precoce: “Caso o médico identifique um câncer de próstata no começo, a chance de cura aumenta muito. Além disso, o tratamento pode ser muito menos invasivo. Por isso esse trabalho de busca ativa da Apor é tão importante. Nós agradecemos muito a Bayer Brasil por ter possibilitado fazermos essa ação”,  explica Marleide.

A primeira etapa de consultas foi realizada no dia 05 de fevereiro. No total, 11 homens de Jaciara, Alto Garças, Rondonópolis e aldeias indígenas passaram pelo urologista e vão seguir seus tratamento. Os pacientes de Guiratinga e Tesouro, depois do diagnóstico, também vão ser orientados sobre quais serão os próximos passos caso a caso. Em seguida, será a vez dos pacientes de Pedra Preta, a cidade está na fase da coleta dos PSAs.

Carinho e acolhimento

Além dos exames e consultas, a Apor recebeu os pacientes com café da manhã, almoço e todo cuidado da equipe especializada. Até os doutores da alegria “Amigos da Apor” marcaram presença durante os atendimentos que seguem sendo realizados em busca do diagnóstico precoce e da conscientização sobre a prevenção do câncer de próstata.

Para mais informações: 3023-3200