Destaques, Notícias

Irmãs cortam cabelos e doam para fazer perucas a pacientes com câncer

publicado em 30 de abril de 2013

apor01As irmãs Júlia Juliana Santos Leite e Luana Carolina Santos Leite, de 17 e 19 anos, encontraram uma forma de ajudar pessoas que passam por tratamento contra o câncer e muitas vezes perdem a autoestima por conta dos efeitos da quimioterapia. Elas contam que deixaram a vaidade de lado, cortaram parte do cabelo e doaram para confecção de perucas no Hospital do Câncer de Campo Grande.

“Fiquei muito feliz quando soube que podia contribuir de alguma forma. Não sabia que tinha a opção de doar, quando soube, tive que criar coragem, já que tinha muito apego pelo cabelo”, disse Luana ao G1.

Júlia foi quem descobriu que era possível praticar o ato de solidariedade. Ela conta que assistiu a uma reportagem na televisão sobre o assunto em fevereiro e anotou o número deixado para entrar em contado com o hospital para agendar a contribuição.

Apesar de ter considerado a iniciativa interessante, conta que levou dois meses para tomar a decisão. “Fiquei com vontade de ajudar, mas não tinha coragem. Meu cabelo sempre foi comprido”, conta.

Júlia e Luana contaram com o apoio uma da outra para seguir adiante com a ideia. “N

ós temos uma ligação muito forte e o apoio foi fundamental. Sem ela talvez eu não tivesse coragem e deixaria pra cortar mais pra frente”, relata Júlia. A entrega do cabelo foi feita no dia 12 de abril

Foi uma surpresa, na opinião das irmãs, a reação diante da iniciativa. “Algumas pessoas falaram que eu era louca, porque o cabelo era grande, mas a maioria deu parabéns pela iniciativa”, conta Júlia.
A atitude das irmãs influenciou outras pessoas a fazer a doação. Júlia contou que uma amiga disse que iria doar e o cabelereiro onde elas fizeram o corte também doou. “Nós pedimos para ele separar o cabelo porque a gente ia doar. No final ele disse que tinha um presente e deu uma mecha também”, conta.

Júlia e Luana pretendem continuar ajudando a causa, incentivando outras pessoas a doarem nas redes sociais e cortando o cabelo de novo quando crescer. “O cabelo cresce bastante e vai ser bom pra mim e pra outra pessoa também”, fala Júlia.

Solidariedade

Uma só doação, como a que as jovens fizeram, não é suficiente para fazer uma peruca, conforme disse ao G1 a presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Rosângela Ferreira Monteiro. Ela disse que não existe um número exato de doações necessárias, mas é preciso um quilo de cabelo pra fazer um adereço. Por isso, é importante que cada vez mais pessoas também ajudem.

Por mês, segundo ela, a instituição recebe menos de um quilo de cabelo. A presidente explica que não importa o tamanho, quantidade ou se os materiais já passaram por tingimentos ou outros tratamentos químicos feitos em salões de beleza.

Uma pessoa especializada faz as perucas cobrando um valor acessível ao hospital. Quando ficam prontas, elas são doadas aos pacientes com câncer. Atualmente, conforme Rosângela, existem oito acessórios disponíveis no local para quem sofreu os efeitos da quimioterapia.

Fonte: G1