Destaques, Eventos, Notícias

“Fio de amor”, projeto de arrecadação de cabelos para produção de perucas para pacientes oncológicos de Rondonópolis e região, completa 3 anos.

publicado em 7 de dezembro de 2018

No dia 05 de dezembro, a noite foi de festa no Hotel Tuti Bororo em Rondonópolis. Cabeleireiro, organizadores, parceiros do projeto e mulheres que se sensibilizaram e doaram seus de cabelos se reuniram para comemorar três anos de um projeto que já emocionou muita gente.

A ideia de organizar a arrecadação de cabelos para a produção de perucas para pacientes em tratamento de câncer partiu do oncologista Dr. José Spila Neto em uma reunião no Rotary Club Cerrado de Rondonópolis, em 2015. Os associados gostaram muito da proposta e começaram a articular o projeto. Em busca de uma instituição para ajudar na organização, Dr. Neto chegou, por indicação, até a Igreja Presbiteriana Cidade Salmen, em Rondonópolis. O pastor Adilson Antônio de Bastos e sua esposa Cleide Bastos abraçaram o convite e começaram a trabalhar na iniciativa que logo ganhou nome: “Fio de Amor”.

Em seguida, foi a vez de encontrar um lugar que produzisse as perucas. Por meio de uma paciente, Dr. Neto conheceu a ONG Atitude na Cabeça, de Curitiba. Cleide Bastos, que virou coordenadora do “Fio de amor”, entrou em contato com a ONG paranaense e a parceria para a produção das perucas começou.

De lá pra cá, o “Fio de amor” só cresceu. Os números são surpreendentes: entre dezembro de 2015 e novembro de 2018, foram doados 3874 cabelos para o projeto. Com eles, a ONG curitibana produziu perucas doadas para todo o país. Em Rondonópolis e região já foram entregues 98 perucas. Para além das perucas, o projeto também arrecada e doa lenços, toucas, próteses mamárias e almofadas terapêuticas. Somados, foram mais de 500 itens doados que ajudam na recuperação de movimentos e da autoestima dos pacientes oncológicos.

Cleide comenta os números do projeto na noite de comemoração: “O dia de hoje resume-se a uma palavra: gratidão. O projeto cresceu muito. Saber que estamos ajudando a levar um pouco de conforto e autoestima para as pessoas nos enche de alegria. Agradecemos muito toda a rede que faz o Fio de Amor acontecer”.

Corte de cabelo gratuito para a doação

A cabeleireira Nilzete de Carvalho Santana é um dos profissionais que fazem parte do projeto em Rondonópolis. Nilzete conta que antes mesmo de saber sobre a existência do projeto já juntava cabelos em seu salão para doação. “Eu tinha uma amiga que estava com câncer e, por conta disso, comecei a ficar com dó de ver os cabelos sendo jogados fora. Então, decidi juntar para doar”.

Da primeira vez, Nilzete conseguiu doar os cabelos para o Hospital do Amor, antigo Hospital de Câncer de Barretos. Mas o hospital parou de receber doações. Quando soube, pelas redes sociais, da existência do “Fio de Amor”, na hora entrou em contato com a Cleide. Chegou até a coordenadora do projeto com uma sacola cheia de cabelos prontos para doar.

Nilzete conta que já cortou 800 cabelos gratuitamente para doação. Às terças e quartas, ela deixa a agenda reservada para pessoas que queiram fazer o corte para o projeto.  “Se é para doação, eu não cobro o corte. Já entrou na minha rotina. É impressionante o número de crianças interessadas em doar”, completa.

A cabelereira, que já doou os próprios cabelos uma vez, fez o segundo corte direcionado ao projeto durante o evento de comemoração. O corte foi feito pela cabeleireira Eloísa Barbosa, que também participa do projeto e se emociona ao falar dele: “Sabe aquele presente que você sabe que Deus te deu? O fio de amor é isso para mim. Eu sinto muito gratidão em saber que estamos contribuindo para fazer alguém sorrir”.

Como cortar o cabelo para doação?

1- É preciso que o cabelo a ser doado esteja com, no mínimo, 20 centímetros;

2- Todos os tipos de cabelo podem ser doados (inclusive os tingidos);

3- Cortar os cabelos totalmente secos (lavar um dia antes e não passar finalizador);

4- Faça várias mechas com elásticos e corte as mechas de cabelo o mais próximo dos elásticos;

5- Não são aceitos cabelos molhados;

6- Cabelos amarrados no meio não servem, isso porque, dessa forma, não é possível saber onde é a raiz e onde é a ponta;

7- Não cortar o cabelo amarrado em um rabo de cabalo. É importante cortá-lo em várias mechas.

 

Onde entregar a doação?

  • Centro de Imagens da APOR

Avenida Cuiabá, 1285 (ao lado da Caixa Econômica Federal).

Tel: 3023-3200

 

  • APOR no Hospital Santa Casa (2ª andar)

Entregar para Elizângela ou Lilian.

Tel: 3426-2802

 

  • Igreja Presbiteriana Cidade Salmen

Rua Manoel Nascimento de Oliveira, 848. Cidade Salmen.

Cleide: 66 99924-1964

 

  • CIEI – Cursos Profissionalizantes

Rua Tiradentes, 2981. Tel: 3421-8049

 

  • Requinte Colchões

Avenida Rio Branco, 123. Vila Aurora.

 

Saiba mais: https://www.facebook.com/umfiodeamor/