Destaques, Notícias

Combate ao Câncer: Apor mostra os resultados do Outubro Rosa na cidade

publicado em 29 de outubro de 2018

No “Outubro Rosa”, mês dedicado nacionalmente à prevenção e luta contra o câncer de mama, a Associação de Pacientes Oncológicos de Rondonópolis (Apor) ganhou reforço extra do comércio local, que abriu espaço para a entidade falar com as mulheres sobre prevenção, no seu ambiente de trabalho. Muitas empresas, literalmente, vestiram a causa da entidade e trocaram o uniforme de suas funcionárias pelas camisetas vendidas pela entidade para promoção da 4ª Caminhada Outubro Rosa.

Mais de 15 empresas aproveitaram o mês nacional de prevenção da doença para falar com suas funcionárias sobre a importância de cuidarem da sua saúde, assim como órgãos públicos, empresas privadas de vários segmentos, a Polícia Civil e outras.

A entidade também promoveu um café da manha com apresentação de médicos oncologistas parceiros da entidade, assim como foram realizadas palestras com diretores da Apor sobre o trabalho feito na região, além de números e informações da doença, de rodas de bate papo, onde as mulheres receberam informações de como fazer o auto exame, identificar possíveis nódulos da doença, qual a idade ideal para solicitar a mamografia, fatores de risco. Elas também tiveram acesso a índices e estatísticas locais e nacionais.

O câncer de mama só perde para o câncer de pele, em taxa de mortalidade. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca) a estimativa para 2018/2019 é de 59 mil novos casos da doença no Brasil. Em Mato Grosso, o risco estimado é de 48 novos casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Hoje, o câncer de mama representa 27,5% do total de casos registrados da doença no Estado, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Para o presidente da Apor, Flávio Rocha, a entidade aproveitou muito bem toda essa abertura para esclarecer o máximo possível as mulheres. “Essa sensibilização é muito importante. É claro que a mulher tem que se cuidar o ano inteiro, mas ter um mês todo dedicado a falar sobre essa doença tão séria, é muito importante”, disse.

ALERTA PARA A PREVENÇÃO

O médico oncologista José Spila Neto concorda com o presidente da Apor e adiantou que o resultado do Outubro Rosa já pode ser sentido no consultório, com um maior número de descobertas da doença em estágio inicial. “Nessa época, a gente encontra muito caso em estágio inicial por causa da busca ativa”, disse.

Mas ele alerta que ainda existem as pessoas que chegam com a doença em estagio avançado por causa do tabu com relação ao assunto e informação desencontrada. “A mulher precisa romper com isso e buscar atendimento sempre que observar qualquer alteração nas mamas. Sempre que sentir qualquer coisa estranha ao fazer o auto exame. Se detectar alguma coisa, procure o postinho, não deixe para depois, procure atendimento o quanto antes. A prevenção da doença faz a pessoa viver muito mais de maneira saudável”, completou.

O acesso para realização da mamografia, para quem precisa da rede pública da saúde começa pelo PSF mais próximo da sua casa. Aí, o médico é quem vai solicitar o exame em caso de necessidade. A central de regulação é quem dá andamento a esse pedido. A Apor não é uma porta aberta para atendimento direto ao público. A maioria dos pacientes chega até a entidade encaminhada pelo Consórcio Regional de Saúde, Hospital Regional e convênios com prefeituras municipais.

SOBRE A APOR

A Apor atende a uma média de 600 pacientes por mês, vindos de Rondonópolis e outras 18 cidades da região. A partir desse mês de outubro, com a assinatura de um convênio com a prefeitura de Rondonópolis, esse número deve passar de mil exames por mês.

Hoje, o tempo médio de espera por uma mamografia é de no máximo 20 dias. “Essa é mais uma conquista para nossa região. Cada vez mais a Apor cumpre com seu papel de chegar a mais mulheres! Sentimos que estamos cumprindo com a nossa missão”, disse a enfermeira gestora do Centro de Imagens da Entidade, Silvana Santana.

 

Fonte: Atribuna MT