Destaques, Notícias, Prevenção

Câncer de mama: o que é, sintomas, prevenção e tratamento

publicado em 11 de outubro de 2018

Só no Brasil, são registrados mais de 2 milhões de casos de câncer de mama. Esse tipo de câncer atinge principalmente as mulheres (raramente os homens) e acontece por causa da multiplicação de células anormais no tecido mamário. O que pode formar um tumor maligno.

Nas primeiras fases, o câncer de mama não apresenta sintomas. Sendo que, o principal sinal que indica sua presença é a palpação de um nódulo endurecido. Além de sintomas como dor, vermelhidão, saída de secreção pelos mamilos, entre outros.

Dependendo do tipo e estágio em que se encontra, o câncer de mama pode ter cura. E é por isso que a realização da prevenção através do autoexame e da mamografia são tão importantes.

Os principais sintomas do câncer de mama envolvem o aparecimento de um nódulo duro na mama (ou próximo às axilas), que pode ser percebido através do toque e do autoexame da mama.

A saída de líquido pelo mamilo quando pressionado, às vezes pode ser sangue. Outro sintoma é o formato diferente entre uma mama e outra, que antes não existia. Ter a mama inchada, vermelha, quente e com coceira. Além de alguma ferida que não cicatriza e mau cheiro.

Também podem aparecer nódulos nas axilas, já que os gânglios linfáticos das duas regiões se comunicam.

Os tipos de câncer de mama

Existem diversos tipos de câncer de mama, depende do seu desenvolvimento. Sendo que alguns são mais agressivos que outros. Os principais são:

Carcinoma ductal in situ – conhecido por CDIS;
Carcinoma lobular in situ – conhecido por CLIS;
Carcinoma ductal invasivo conhecido por CDI, que é cerca de 80% dos cânceres da mama invasores ou invasivos;
Carcinoma lobular invasivo conhecido por CLI;
Carcinoma inflamatório da mama é um câncer agressivo, mas muito raro.
Além desses, alguns como o carcinoma medular, carcinoma mucinoso, carcinoma tubular e tumor filoide maligno, são ainda mais raros.

Tratamento do câncer de mama

Varia de acordo com o tipo, estágio e gravidade. O médico oncologista irá optar por um ou pela combinação de vários tratamentos. Que podem ser realizados através do SUS, centros de oncologia da cidade ou de forma particular.

Geralmente, acontece a intervenção de tratamentos como quimioterapia, radioterapia e cirurgia para retirada do tumor. A ordem de tratamento depende das condições em que o tumor foi diagnosticado.

No caso de cirurgias, também varia. Podendo haver a retirada total da mama, ou parte dela. Podendo ser necessária a remoção dos nódulos linfáticos da axila (caso tenham sido atingidos).

Dependendo do caso, o tratamento pode ser continuado depois da cirurgia, para eliminar ou evitar a progressão da doença – o que também depende da gravidade do tumor.

Como prevenir o câncer de mama

Ter um estilo de vida saudável é o primeiro passo para a prevenção, não só do câncer de mama, mas como de diversas outras doenças. É orientado que se tenha uma alimentação saudável, com frutas, legumes e verduras. Além da prática regular de exercícios físicos. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e eliminar o cigarro.

Para prevenir de forma eficaz o câncer de mama é preciso realizar, regularmente, a mamografia. E anualmente entre os 50 e 69 anos de idade. Esse tempo pode ser estendido até 2 anos entre cada exame, especialmente se a mulher não tiver qualquer fator de risco ou alteração na mama. Já mulheres com mais de 35 anos e fatores de risco devem fazer a mamografia todos os anos.

Também é importante a realização do autoexame da mama, pelo menos uma vez por mês. Especialmente de 3 a 5 dias depois do término da menstruação. A importância do autoexame é sempre relembrada, anualmente, na campanha Outubro Rosa.

Fonte: Area de Mulher