Destaques, Notícias

Apor viabiliza 76 consultas para retornos com mastologistas e zera fila de espera na Central de Regulação de Rondonópolis

publicado em 23 de janeiro de 2020

Em dezembro do ano passado, a Gestão da Apor fez um levantamento na Central de Regulação da cidade para saber quantas mulheres estavam esperando por uma consulta para a oncologia. Quando recebeu a lista, a surpresa foi grande: 76 mulheres aguardavam ser chamadas para consultas de retorno com o mastologista (mama), algumas há mais de um ano.

A Apor estudou os custos, conversou com os profissionais da especialidade e decidiu viabilizar as consultas que, desde o dia 7 de janeiro de 2020, já estão sendo realizadas no Ambulatório da Santa Casa de Rondonópolis. Até agora, cerca de 36 mulheres que estavam na fila de espera já passaram por consulta. Algumas delas receberam encaminhamento para biópsias, mamografias e ultrassonografias de mama.

Todos os exames solicitados também serão custeados pela Apor que vai investir R$ 6.080,00 com consultas. O investimento final da Apor com essa ação de atendimentos ainda vai depender dos exames e das cirurgias que serão solicitados pelo mastologista.

Fluxo para a realização das consultas

Além dos casos das pacientes oncológicas que estavam esperando retorno, as mulheres que esperavam na fila pela consulta do mastologista têm o encaminhamento dos médicos dos PSFs de seus bairros. De lá, os pedidos foram direcionados para a Central de Regulação.

Com o investimento da Apor, a Central de Regulação está direcionando as pacientes para o Ambulatório da Santa Casa de Rondonópolis, onde as consultas estão sendo realizadas. A previsão é que até o final de fevereiro todas as mulheres da fila sejam atendidas.

 

Dona Orlanda esperava pelo atendimento há 8 meses: “Essa consulta foi um presente. Agradeço demais à Apor”.

Pacientes comemoram o acesso aos atendimentos

Orlanda dos Santos, 62 anos, que teve câncer de mama em 2007, esperava por uma consulta de rotina com o mastologista há oito meses. A paciente conta como recebeu a ligação confirmando que era chegada sua vez: “Eu fiquei feliz demais. Até porque eu vou precisar ficar alguns meses na casa da minha família no Paraná e eu estava muito preocupada em ter que ir viajar sem saber se estou bem. Essa consulta foi um presente. Agradeço demais à Apor”.

 

 

 

Desde julho de 2019, Juliana esperava a consulta: “A Apor olha com mais carinho e mais humanidade para gente”

Juliana Helena Mesquita, de 46 anos, também ficou surpresa com a ligação: “Eu tive muita dificuldade no ano passado pra conseguir essa consulta. Eu fui algumas vezes no posto de saúde e na Central da Regulação e fui informada que a demanda era muito grande. Eu não via nenhuma possibilidade de fazer meu exame de rotina que é tão importante para gente que faz tratamento”.

A paciente teve câncer de mama em 2017 e estava esperando a consulta desde julho do ano passado. “Quando eu recebi a ligação da moça confirmando a consulta, eu nem entendi na hora. Eu tive uma negativa tão grande no ano passado e agora tudo se resolve de maneira tão fácil, isso me causou uma surpresa muito grande. Acho que esse é o papel da Apor. Ela assiste às pessoas que necessitam, não só eu, mas uma gama de pessoas que necessitam, olha com mais carinho e mais humanidade para gente”, ressalta a paciente.

 

 

A espera da Dona Luzinete começou em fevereiro do ano passado: “Eu agradeço às pessoas que ajudam”.

O sentimento de gratidão pela iniciativa da Apor também é grande em Luzinete Lopes Esteves, de 54 anos, que esperava desde fevereiro de 2019 pela consulta: “Eu agradeço primeiramente a Deus, porque é ele que toca no coração dessas pessoas. Esse ano, inclusive, nós estamos com uma campanha de gratidão na igreja. Então, eu tenho muita gratidão. A gente que é paciente e precisa de apoio sabe o quanto faz diferença. Eu agradeço às pessoas que ajudam”.

 

 

Homens com suspeita de CA são foco da próxima ação da Apor

A próxima ação de atendimentos viabilizado pela Apor vai contemplar os homens que aguardam por uma consulta com o urologista para a realização do exame de cistoscopia. No total, 19 homens aguardam serem chamados pela Central de Regulação para realização desse exame há mais de um ano. Todos eles com suspeita de câncer.

Em breve, a Apor vai divulgar informações sobre a previsão de início para esses atendimentos.

A importância das doações para a realização dos mutirões

Os mutirões de atendimentos só são possíveis graças às doações que chegam para Apor. A paciente Juliana, que já acompanha o trabalho da associação há bastante tempo e foi atendida nesse mutirão, sintetiza o trabalho da Apor e como a população pode ajudar:

A Apor é muito fundamental para a realização dos exames preventivos, como a mamografia. Importante para gente que está lá fazendo os exames porque nos deixa mais segura. E quanto mulher a gente precisa dessa segurança, de estar num lugar que a gente precisa se sentir abraçada e acolhida.

Então só eu desejo mesmo que as pessoas possam se situar de coração e alma para que esse projeto de vida que é o da Apor – e a gente quer vida, a gente quer viver! – que ele possa se perpetuar, que ele possa crescer. Que todas as mulheres possam ser assistidas como eu fui.

A estatística mostra que se toda mulher pudesse buscar constantemente um médico, se pudesse fazer seus exames de rotina como eu fiz, tudo poderia ser encontrado na fase inicial. E tudo é muito mais rápido, menos agressivo, menos traumático, a nossa vida se torna melhor.

Então esse é o papel da Apor: abrir caminho para os exames que são importantes pra nós. Eu peço para toda população, para os pacientes e familiares que possam acreditar e contribuir. De que maneira a gente pode contribuir? Comprando as cartelas dos eventos, querendo saber o que a Apor precisa…O importante ajudar de alguma forma”.

Faça a sua doação e ajude a Apor a continuar salvando vidas. Ajude a salvar vidas!

 

Texto e fotos: Lilian Martins