Destaques, Notícias

APOR abre mês de outubro levantando a bandeira contra o câncer de mama na região

publicado em 29 de setembro de 2018

Nesta segunda feira, (01) começa o Outubro Rosa, mês dedicado à luta contra o câncer de mama em todo o país. Em Rondonópolis, a APORAssociação de Pacientes Oncológicos de Rondonópolis é a maior referência no assunto e aposta na arma do acesso a prevenção para ganhar essa batalha. ““Queremos dar acesso, condições das pessoas se prevenirem contra essa doença. A única arma é a prevenção”, disse o presidente da APOR, Flávio Rocha.

A entidade é hoje o único acesso filantrópico para realização do exame de mamografia para pacientes locais e 18 municípios da região. São atendidos por mês, uma média de 600 pacientes com exames preventivos (mamografia, ultrason, biópsias e PSA) além de consultas e cirurgias. Tudo custeado por doações e um convênio firmado com o consórcio regional de saúde. Mas segundo a gerente da entidade, Silvana Santana, além das filas a espera de acesso ao exame. Ainda é grande o número de pessoas que deixam de procurar atendimento. Que não respeitam as orientações de prazos, fatos de risco, etc. “Todos os dias chega pra gente mulheres com mais de 50 anos, com casos de câncer de mama na família e que mesmo assim nunca fizeram um exame preventivo. A grande maioria acaba voltando para casa com a notícia de um câncer, em grau avançado”, disse.

Para ajudar a mudar essa realidade a APOR vai mostrar muitos desses casos em suas páginas sociais, durante o mês de outubro. E convida toda a imprensa, empresários e formadores de opinião a somarem forças nessa batalha. As pessoas também podem ajudar a entidade comprando a camiseta do outubro rosa, vendida a R$ 25 reais, que terá verba totalmente revertida para mais acesso de graça a exames, consultas e cirurgias pela APOR. No dia 27 de outubro, às 16h, também acontece a 4º caminhada outubro rosa, como mais uma atividade de combate à doença. “Nosso trabalho é todos os dias, o ano todo, mas queremos aproveitar o mês de outubro para pedir mais apoio”, disse o presidente da entidade, Flávio Rocha.

Cada paciente atendido na APOR que tem resultado positivo para câncer é 100% tratado com ajuda de doações e parcerias feitas com médicos e laboratórios. Um custo que a entidade entende como “investimento para a vida”, uma média de 2.800 reais por pessoa. O paciente só volta para o atendimento do SUS na etapa de quimioterapia. Por mês são uma média de 130 mil reais investidos para manter uma casa de apoio – que fornece pouso e comida de graça para pacientes de outras localidades; exame de mamografia, ultrason, PSA, biópsias, consultas com mastologista, ajuda de custo em cirurgias para retirada de tumores, além de café da manha e almoço de graça todos os dias. .